sábado, 15 de março de 2008

medicina tibetana - tibet healing

Antigamente os seres viviam em paraísos[1] e de nada precisavam mas com a degenerescência apareceram as doenças que vêm dos três venenos ou emoções perturbadoras que são o apego, a cólera e a ignorância, que levam às perturbações dos três humores que controlam o nosso corpo: o vento-rlung, a bile-mKris-pa e a fleuma-Bad-kan.[2] Nalguns Tantras as disfunções da carne estão relacionadas com a ignorância, as disfunções dos ossos com a cólera e as disfunções do sangue com o apego. Factores externos podem provocar certas doenças físicas, por exemplo, seres não humanos como os devas (ou seres celestiais), os nagas (ou seres subterrâneos) e outros. Mas não são a causa principal das doenças, eles catalisam os disturbios humorais.
Tal como na acupuntura o diagnóstico pode ser feito pelo pulso. Os medicamentos tibetanos não são preparados mecanicamente mas são feitos com bondade, sendo consagrados com mantras, o que contribui para o sucesso do tratamento.
[1] Por exemplo, bastava um olhar para satisfazer o desejo sexual, depois já era preciso um contacto com as mãos e finalmente uma união física.
[2] Em tibetano o vento é rlung, a força vital, a mobilidade, que anima o corpo que governa os outros dois princípios, é o calor que transforma e mantém o corpo. Em tibetano bile é mKris-pa, a energia vital, o fogo que destrói e consome, não se limitando à bile segregada pelo fígado. Fleuma em tibetano é Bad-kan, literalmente mucos, o liquido representando a estabilidade e o peso, a força anabólica que zela pelo bom funcionamento do corpo.
texto - conceição gomes

notar bem: Cada pessoa deve encontrar o método que melhor lhe convêem.