quarta-feira, 13 de agosto de 2008

11/9/ e JO

"Um jornalista da "Vanity Fair" chamou-lhe o "fim da ironia", naquela que se tornou uma das expressões mais popularizadas para descrever o pós-11 de Setembro de 2001."----Nesse dia vi a morte em directo_ encenada. Nunca esquecerei as imagens, a face dos jornalistas televisivos, os comentários, a net que ainda estava no inicio e que não sabia o que dizer. Sei que telefonei para muita gente a dizer o que se passava, americanos que almoçavam em Lisboa resumiram a situação: estamos em guerra, e levantaram-se da mesa deixando um amigo meu sozinho e sem palavras. Tanto tempo passou e a morte está cada vez mais presente em imagens TV, veio isto a propósito deste post.
Como está o mundo hoje? Diferente e igual. A Rússia imperial voltou, a China entrou na cena internacional, os USA estão em intervalo, a Europa adiada. Parece que alguém baralhou, deu cartas e saiu de novo o mesmo jogo a todos_
Quanto aos J.O o "directo" foi manipulado --- a China acha que mais vale parecer real do quer o ser.

Sem comentários:

Enviar um comentário