segunda-feira, 27 de outubro de 2008

a morte

"Vou falar-vos do processo da morte de acordo com o Budismo Vajrayana. Nos textos está bem estabelecido mas esta contribuição deve ainda ser investigada por meios científicos. A dissertação fala-nos da energia central do coração, onde se diz estar localizado um elemento muito subtil de cor branca e outro de cor vermelha (Skt. bindu). Durante o processo de morte, o elemento branco desce da cabeça através do canal central e pára no centro do coração. De trás do coração o elemento ou gota vermelha muito subtil emerge. Quando o elemento muito subtil de cor branca desce para o coração, temos a experiência de uma luz pálida. Depois, o elemento vermelho sobe ao coração e há então a experiência subjectiva do vermelho brilhante. Quando estas duas convergem completamente como duas metades unindo-se, há um período de escuridão, como se perdêssemos simplesmente toda a consciência. Depois disso vem o período da Luz clara da morte”.

"A Luz clara da morte é algo que todas as pessoas sem excepção experimentam, mas há muitas variações em termos de duração. Para algumas pessoas pode durar alguns segundos, para outras alguns minutos ou vários dias ou semanas. Enquanto a Luz clara da morte é mantida, a conexão entre a energia-espírito muito subtil e o corpo físico grosseiro não é cortada. Está em vias de ser cortada mas ainda não o foi completamente. No preciso momento em que isso acontece, o corpo começa a decompor-se e dizemos que está morto."

Dalai Lama