quinta-feira, 8 de abril de 2010

por uma profissão sem medo

1. Declaro que estou um pouco farta de ler nos jornais (hoje é no público o pedro lomba) que o FB é o lobo mau e nós somos todos o capuchinho vermelho que acredita em fadas e duentes. Acho ridiculo dizer-se que alguém se divorciou por causa do FB, da invenção do telefone, do "carro - esse objecto fálico", da vizinha do lado, ou do telecomando da TV (que caso muitos jornalistas não saibam é mais gerador de divórcios que a net....)....Não sejam ridículos, aceitem a realidade e trabalhem com rede. 


2. Tudo tem um começo, um meio e um fim. Isso vale para tudo, do casamento ao funcionamento de uma empresa privada ou publica.


3. A dependência a processos impermanentes causa sofrimento - não somos a personagem que actua, logo nós nunca perdemos, quem perde é a personagem imaginária por nós criada e assim nos libertamos.


4. A chave é estar vinculado (criar um link) e ao mesmo tempo ser livre com audácia e coragem.

foto: enquanto o lobo mau não vem.


ex de uma boa utilização do FB:

Paulo Borges Aviso os meus alunos de Filosofia e Estudos Orientais que afinal hoje não há nenhuma sessão do curso na Universidade de Lisboa. Peço-vos que avisem os vossos colegas. Saudações cordiais
há 37 minutos ·  · 
Carlos Joao Correia
Carlos Joao Correia 
Vou partilhar na página do Facebook do curso.
há 24 minutos
Carlos Joao Correia
Carlos Joao Correia 
Vou também colocar essa informação na página do curso.
há 19 minutos
Carlos Joao Correia
Carlos Joao Correia 
Já coloquei os avisos. Vou também tentar reenviar a informação para os e-mails que disponho.
há cerca de um minuto