segunda-feira, 28 de junho de 2010

telemóvel útil na morte

" O Lama Padma Santen nos contara na véspera que havia conseguido ligar para uma particante moribunda, pedindo à pessoa que a estava acompanhando no hospital que colocasse o celular (telemóvel) no ouvido dela. Naquele momento, ela estava em coma induzido, depois de um processo de tratamento para leucemia.

Pelo celular, o Lama foi recitando mantras e dando orientações para os bardos que se seguiriam. Ele nos conta que ouvia a respiração dela acelerando e que por duas vezes se emocionou. Ele contou isso na noite de sábado. No domingo, chega a notícia que ela havia falecido."

contado por Teresa Bessil, revisto por mim - praticante budista no Brasil