quinta-feira, 1 de julho de 2010

dia das bibliotecas | C - Dicionário Luso-Brasileiro

 1. Hoje é o dia das Bibliotecas -  um verdadeiro serviço público e escolhi a foto da biblioteca de loulé /algarve(conheço-a muito bem) que têm o nome de Sophia de Mello Breyner Andresen e este poema dela: "Porque os outros se mascaram mas tu não Porque os outros usam a virtude Para comprar o que não tem perdão. Porque os outros têm medo mas tu não. Porque os outros são os túmulos caiados Onde germina calada a podridão. Porque os outros se calam mas tu não."

2. Um COMBOIO de Portugal andaria nos trilhos de um TREM brasileiro. Para os sul-americanos, comboio quer dizer um grupo de veículos indo ao mesmo destino. C - Dicionário Luso-Brasileiro - Glossário via blog de tradução

3. concluindo esta bonita homenagem de uma brasileira que leu Pessoa pela 1ª vez numa biblioteca brasileira:

"Inspirei e espelhei-me em Fernando Pessoa para rabiscar os primeiros versos, após lê-lo vorazmente. Que o diga a bibliotecária da escola, aquela senhora emudecida frente ao meu sofrimento interminável quando descobri que eram limitadas as obras deste autor no seu acervo e que eu já lera todas as existentes.
Não lembro mais o nome da boa alma que se compadeceu de mim e me presenteou um exemplar dos "melhores poemas" de Pessoa. Fininho, ilustrado, cheirando a novo. Tão bonito era que devia ser emoldurado, porém não pude resistir e o levava sempre na bolsa tiracolo, em meio a tantas coisas que, num dia triste, se perdeu.
Mas o Pessoa não se perdeu de mim. Mostro-lhe todos os meus rabiscos. Às vezes, ele torce o nariz comprido e me deixa cabisbaixa, de castigo. Às vezes, mais Caeiro que Álvaro de Campos, se ri das minhas rimas infantis.
Somos inseparáveis, Mestre e Aprendiz. É a fonte que sacia a minha sede de sentir, talvez por ter sido Pessoa a pessoa que mais sentiu (chegando a fingir que era dor / a dor que deveras sentiu).*by Bia de Barros