sexta-feira, 23 de abril de 2010

Sound Therapy



I found this video quite illustrative. Link to the Healing Sounds site which worths the visit.

livro e luz


1. Assinatura em papel_Há coisas que sabemos fazer e outras não. Lembro-me de um jovem padre entusiasmado, celebrando com alegria casamentos. Pouco tempo depois a alegria dos casais azedava, seguindo-se um divórcio barulhento. Triste, mas sensato o jovem padre jurou não celebrar mais casamentos.

2. O mesmo pode acontecer com os autógrafos ou dedicatórias: para uns alegria e sinal de orgulho, para outros tristeza e sinal do "fim" como as frases escritas nas pedras tumulares. De que tipo somos?

3.Plágio: somos todos contra mas muitos o fazem embrulhado noutro pacote, assim é apenas um "acaso"_ hoje li uma revista e pareceu-me ver plágio, intenções estranhas e ao meu único e fiel leitor (eu e o outro eu) digo que o plágio não dá frutos. O que frutifica é a permissão do autor, seja para copiar um par de sapatos, uma simples letra, um livro, etc.

4. E como estamos no dia do livro gostaria de o comparar à boa cozinha: para o sucesso são precisos bons produtos, gosto, sabor, cheiro, os 5 sentidos em pleno, honestidade, uma pitada de sal e pimenta e um bom meio ambiente. boas leituras

conceição gomes

quinta-feira, 22 de abril de 2010

sorriso

Mesmo não vendo,  podemos pelo som da voz saber se o emissor sorri ou não.
"Não é só a inflexão da voz que revela o sorriso, os lábios mudam o período de tempo do canal vocal que emite o som. Muitos publicitários usam pubs que soam como um sorriso, porque nós gostamos de ouvir esse som."....Dr. Paul Ekman

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Limpeza de Primavera

A Primavera é a época ideal para limpezas e desintoxicações.
Quando se fala em limpeza de Primavera, vem-nos logo à ideia fazer limpezas grandes na casa, dar volta aos armários e livrarmo-nos do excesso acumulado durante o Inverno. Damos sacos de roupa para as igrejas ou outras instituições, deitamos fora coisas em mau estado e sem utilidade, reciclamos, partilhamos roupas e utensílios com quem mais necessita, arrumamos as roupas de Inverno e pomos mais à mão as roupas de Verão, e até as mantas e édredons vêem os seus dias de “serviço e conforto” contados para serem lavados, arejados e arrumados até à próxima estação fria. Ficamos com a casa e com os armários mais livres e limpos, cheirando bem, cheirando a Primavera!

Também sabemos que a Primavera é a estação ideal para proceder a desintoxicações e libertar o corpo dos excessos do Inverno que puxa a alimentos mais quentes, gordurosos, aos doces e compotas, etc… Normalmente o Fígado fica sobrecarregado e chegando a estação que lhe corresponde, há uma tendência natural para rejeitar alimentos gordos e nos apetecer frutos frescos, sumos naturais, saladas (já que a alface é um legume próprio da Primavera) e, no geral, refeições mais ligeiras.

Do mesmo modo, devemos aproveitar esta estação para proceder a uma limpeza global. Não nos limitemos à limpeza material da casa e armários, à limpeza corporal eliminando resíduos tóxicos do organismo e aproveitemos a onda primaveril para reflectir em nós. Para nos centrar, meditar e olhar para dentro.

Façamos um tempo de paragem e observemos: (1) como está o nosso físico (que é sempre um reflexo do nosso estado psicológico), (2) como está o emocional e (3) como está o mental? Sem pressas, com muita gentileza e sem culpabilizações, observemos apenas como estão os nossos padrões emocionais e mentais. Ao que é que estamos apegados? Ao que é que resistimos? Do que temos medo? O que nos está a ser exigido do exterior e nos incomoda? Porque nos incomoda? Porque a mudança nos assusta?

Analisando os diversos padrões pelos quais nos movemos, deparamos muitas vezes com crenças rígidas e obsoletas que em nada nos beneficiam. A inflexibilidade traz doença. Sendo a Primavera uma estação de energia ascendente que apela à mudança, à flexibilidade, ao novo, tenhamos a coragem de nos renovar, nos libertar dos padrões “enquistados” e fazer uma limpeza energética e psicológica que em muito nos irá beneficiar. Atrevermo-nos a ser novos e renascidos, seguindo o apelo da Primavera e da Páscoa, pode ser uma aventura enriquecedora e deliciosamente fascinante. Tenhamos a coragem de abrir as janelas da nossa mente para deixar sair as teias de aranha e entrar o ar fresco primaveril que tem o poder de nos renovar. Deixemos lamentações e medos de lado e optemos por frases apelativas e positivas. Digamos a nós próprios todos os dias que nos amamos, que somos gratos por tudo quanto existe e deixemos que a energia de um coração vibrante tome conta de nós!

Paula Soveral, Lisboa, 15/abril/2010

quinta-feira, 15 de abril de 2010

haiku

chegou à "europa" através do belga Herman Van Rompuy, presidente do conselho europeu, que hoje lançou o seu livro "Haiku", perante muitos jornalistas sobretudo japoneses. Aguardamos o seu haiku sobre alguma realidade portuguesa.

ex:
"Le silence vit / tant que j'entends les oiseaux / leur chant me calme…"









sexta-feira, 9 de abril de 2010

feng shui

uma entrevista com bom senso que vale a pena ouvir

O feng shui, na casa e na saúde

16 NOV 09


entrevista na TSF

Sendo uma superstição de origem chinesa, sabia-se que os ideogramas Feng e Shui (respectivamente Vento - yang - e Água - yin -) representariam o conhecimento das forças necessárias para conservar as influências positivas que supostamente estariam presentes em um espaço e redirecionar as negativas de modo a beneficiar seus usuários. Ou seja, ligado à arquitectura, à decoração de interiores e exteriores. Mas pelos vistos há outras utilizações. Para nos ajudar a perceber o que é realmente o Feng Shui [deve ler-se fon suei] convidámos Alexandre Gama, licenciado em Engenharia Zootécnica pela Universidade de Évora, aluno do curso de Feng Shui do IMP no ano de 2000. A sua experiência pessoal e a sua sensibilidade à organização dos espaços, aliadas a uma crescente pesquisa no âmbito do chi (energia universal), contribuíram para que se tornasse Consultor de Feng Shui, que é hoje a sua actividade principal. 


livro para viver melhor


Sinopse:

Quer ter uma vida mais equilibrada? Sentir-se mais saudável com mais energia? Quer saber interpretar os sinais que o seu corpo lhe dá? Alterar o seu modo de vida e a sua alimentação para se sentir melhor? Em suma, quer aprender a viver melhor? Ao longo destas páginas vai aprender a potenciar a energia do seu corpo, a interpretar os sinais que este lhe dá através do autodiagnóstico, a praticar exercícios de respiração e meditação, a fazer alongamentos e outros movimentos físicos, a cozinhar de forma mais saudável, escolhendo alimentos que beneficiam a sua saúde, a pensar de modo mais positiva de forma a usar a mente e as emoções a seu favor. Sabia que:



- A nossa respiração deve dar mais ênfase à expiração e ser mais centrada na zona abdominal?



- O funcionamento dos intestinos pode dar-nos indicações preciosas sobre a nossa saúde em geral e sobre a saúde do aparelho digestivo em particular?



- Alterações na testa como inchaço, borbulhas, escamação e outros tipos de sinais estão ligados a desequilíbrios dos intestinos, bexiga e órgãos reprodutores?  



- Devíamos consumir mais cereias integrais, vegetais, leguminosas e menos lacticínios, carne e açúcares?



"O objectivo principal deste livro é preparar o seu corpo e mente a resistir melhor e a melhor se adaptarem aos desafios da vida moderna."
Do álbum: 
"Wall Photos" por Esfera Dos Livros
um texto do autor publicado no jornal sol e no site do I. macrobiótico

PRIMAVERA

por Francisco Varatojo

A Primavera está geralmente associada a frescura, renovação, vida nova, romance, criatividade, comunicação. Nesta altura do ano é comum sentirmo-nos mais activos e com mais vontade de aceitar novos desafios ou, pelo contrário, mais frustrados e deprimidos, com uma sensação de desagradável estagnação que nos impede de fruir e apreciar o desabrochamento geral.

Foi comum à maioria das culturas o desenvolvimento de práticas e rituais primaveris com o intuito de limpar a estagnação gerada durante o Inverno e permitir um melhor desenvolvimento nesta nova estação. O princípio subjacente a estas práticas é o de que devemos fazer uma boa limpeza externa e interna para que não nos sintamos pesados e letárgicos quando as condições circundantes se tornam mais brilhantes e activas. Basicamente, devemos emular os ciclos da Natureza e não ir contra eles.

É ainda comum, nos países anglo-saxónicos, fazer-se uma "spring cleaning", ou limpeza primaveril, tarefa em que muitas famílias se empenham seriamente, limpando e arrumando todos cantos da casa.

É assim que neste início da Primavera lhe proponho que faça uma limpeza generalizada:

  1. Em casa, arranje o que necessitar ser arranjado; ofereça o que estiver a mais e que já não lhe faz falta, limpe as áreas mais inacessíveis; ventile; renove.
  2. Internamente, simplifique grandemente a sua alimentação durante 1 semana a 10 dias: reduza ou abstenha-se totalmente de ingerir produtos animais assim como comida pesada e gordurosa. Se já alguma vez pensou em jejuar ou comer muito pouco durante algum tempo, este é o período ideal do ano para o fazer.

Aproveito para lhe desejar uma Boa Primavera.

 

quinta-feira, 8 de abril de 2010

por uma profissão sem medo

1. Declaro que estou um pouco farta de ler nos jornais (hoje é no público o pedro lomba) que o FB é o lobo mau e nós somos todos o capuchinho vermelho que acredita em fadas e duentes. Acho ridiculo dizer-se que alguém se divorciou por causa do FB, da invenção do telefone, do "carro - esse objecto fálico", da vizinha do lado, ou do telecomando da TV (que caso muitos jornalistas não saibam é mais gerador de divórcios que a net....)....Não sejam ridículos, aceitem a realidade e trabalhem com rede. 


2. Tudo tem um começo, um meio e um fim. Isso vale para tudo, do casamento ao funcionamento de uma empresa privada ou publica.


3. A dependência a processos impermanentes causa sofrimento - não somos a personagem que actua, logo nós nunca perdemos, quem perde é a personagem imaginária por nós criada e assim nos libertamos.


4. A chave é estar vinculado (criar um link) e ao mesmo tempo ser livre com audácia e coragem.

foto: enquanto o lobo mau não vem.


ex de uma boa utilização do FB:

Paulo Borges Aviso os meus alunos de Filosofia e Estudos Orientais que afinal hoje não há nenhuma sessão do curso na Universidade de Lisboa. Peço-vos que avisem os vossos colegas. Saudações cordiais
há 37 minutos ·  · 
Carlos Joao Correia
Carlos Joao Correia 
Vou partilhar na página do Facebook do curso.
há 24 minutos
Carlos Joao Correia
Carlos Joao Correia 
Vou também colocar essa informação na página do curso.
há 19 minutos
Carlos Joao Correia
Carlos Joao Correia 
Já coloquei os avisos. Vou também tentar reenviar a informação para os e-mails que disponho.
há cerca de um minuto

sábado, 3 de abril de 2010

adeus lua




Não saberei nunca
dizer adeus

Afinal, 
só os mortos sabem morrer

Resta ainda tudo,
só nós não podemos ser

Talvez o amor,
neste tempo,
seja ainda cedo

Não é este sossego
que eu queria,
este exílio de tudo,
esta solidão de todos

Agora 
não resta de mim
o que seja meu
e quando tento
o magro invento de um sonho
todo o inferno me vem à boca

Nenhuma palavra
alcança o mundo, eu sei
Ainda assim,
escrevo.

MIA COUTO

________________-sem som

fiz copy\past do blog c outra imagem

sexta-feira, 2 de abril de 2010

ALIMENTAÇÃO NATURAL

A alimentação natural é a alimentação que está de acordo com a natureza do ser humano.
É de salientar que o estudo da comparação da anatomia e fisiologia entre carnívoros, herbívoros e seres humanos nos mostra, por exemplo, que: os animais carnívoros e mesmo os omnívoros têm garras e o ser humano não; ao contrário do ser humano e dos herbívoros, os carnívoros não têm poros cutâneos; os carnívoros possuem dentes caninos frontais pontiagudos e o ser humano não; os carnívoros não têm molares nem produzem ptialina, a enzima necessária à pré-digestão dos cereais, ao contrário do ser humano que deles necessita para mastigar e digerir os cereais e outros alimentos.
Uma alimentação natural baseia-se estritamente na ingestão de produtos de origem vegetal (cereais, feijões, legumes, frutos e sementes).
O principal objectivo de uma alimentação natural é manter-nos em equilíbrio saudável e em sintonia com toda a Natureza, da qual somos parte integrante. Ao longo dos séculos, e sobretudo após a Revolução Industrial, o homem foi-se distanciando dos alimentos naturais e sazonais, começando a consumir cada vez mais alimentos processados, congelados e de todas as partes do mundo. O natural é consumir aquilo que é de cada época e que existe num raio de 50 km do local onde vivemos.

Somos aquilo que comemos: Os alimentos que ingerimos, após digeridos no intestino, passam para o sangue que irriga todos os órgãos do nosso corpo, incluindo o cérebro. A qualidade do sangue determina a boa ou má condição de saúde de todos os nossos órgãos vitais e igualmente a qualidade dos nossos pensamentos e emoções. Há, por assim dizer, uma simbiose total e perfeita que nos permite afirmar que o "acto de comer é o acto mais íntimo da nossa vida": o alimento transforma-se em nós e nós no alimento.

Benefícios: A alimentação natural só nos traz benefícios, sendo o principal contribuir para uma condição de saúde mais equilibrada; ao eliminarmos da nossa alimentação produtos demasiado processados e gorduras saturadas (carnes, lacticínios, fritos), bem como o álcool, tabaco, café, chocolate (*) e açúcar, estamos a contribuir para uma condição sanguínea menos ácida e, portanto, mais benéfica a todo o nosso organismo.

Uma refeição equilibrada: para uma pessoa saudável, uma refeição equilibrada deve ser composta de 30% de cereal integral, 30% de vegetais ligeiramente cozinhados, 20% de alimento proteíco e cerca de 10% de vegetais crus (incluindo os germinados). É de salientar que nunca se devem misturar proteínas! Assim, se numa refeição já se encontra presente uma leguminosa (feijão, ou lentilhas, ou grão, etc) não é aconselhável misturar tofu, tempeh ou outros alimentos proteícos.
O tão famoso "cliché", mas não menos verdadeiro de que "cada caso é um caso", indica-nos que aquilo que é bom para uns pode não ser para outros; aquilo que é bom e saudável comer numa época do ano, não o é noutra (por exemplo, não se devem comer castanhas em Agosto, nem morangos em Dezembro!). Sendo assim, e dependendo da condição de cada pessoa em diferentes momentos, é aconselhável consultar um técnico com formação e experiência em alimentação natural (Naturopatia, Nutrição Ayurvédica, Medicina Tradicional Chinesa, Macrobiótica) no caso de haver dúvidas em relação ao que é mais certo para cada condição e, sobretudo, no caso de alguma patologia aguda ou crónica.

A evitar: Alimentos de origem animal, sobretudo todo o tipo de carnes e lacticínios. Estes alimentos são excessivamente gordos e deixam no organismo um tipo de gordura muito difícil de eliminar, causando posteriormente problemas graves de saúde. Por exemplo, a mistura da gordura de lacticínios com açúcar, mesmo que seja de fruta, cria um tipo de gordura interna muito difícil de eliminar. Obviamente, todas as substâncias tóxicas, tais como: álcool, tabaco, açúcar, café, chocolate (*), alimentos fritos (à excepção da Tempura (**), mas que deve ser consumida raramente), produtos enlatados e/ou congelados e produtos retardados (os alimentos devem ser consumidos logo a seguir a serem confeccionados, não devem ser reaquecidos e muito menos congelados).

Como adoptar uma alimentação natural: Tal como acima referimos, cada caso é um caso e por isso, cada pessoa deve, antes de mais, seguir a sua intuição, fazer as suas próprias experiências, descobrir qual é a melhor fórmula para si, e obviamente aconselhar-se sempre com um técnico devidamente credenciado que o possa orientar nessas escolhas, de acordo com a sua Constituição e Condição do momento. O que é certo para um, pode não ser para outro. Por isso, há que ter sempre muito bom senso. No geral, e como primeiro passo, qualquer pessoa saudável que queira mudar a sua alimentação deve deixar de comer carne e produtos lácteos e depois, progressivamente, ir fazendo pequenos ajustes. E é preciso salientar que não é necessário substituir estes produtos (carne e lacticínios) por outros. É preciso é deixar de consumi-los e aumentar as quantidades de alimentos de origem vegetal (cereais integrais, legumes, leguminosas, sementes, frutos).
Hoje em dia, há um exagerado consumo de soja, por exemplo, que não é nada saudável. Basta ver que no Oriente ninguém consome soja como a maioria das pessoas aqui no Ocidente. No Oriente consome-se a soja na forma de derivados/fermentados (shoyou, tofu, tempeh, miso), mas mesmo estes com muita parcimónia.

Se as pessoas deixarem de consumir carne e lacticínios já é mesmo um grande passo! Não só beneficiam a saúde, como beneficiam o Ambiente. E a alimentação fica muito mais económica!

Flexibilidade e Gratidão: Para finalizar, gostaria de salientar que seja qual for o regime alimentar escolhido por uma pessoa, ele nunca será perfeito, exactamente pelas razões apontadas; somos seres complexos, a nossa alimentação deve adaptar-se constantemente à nossa Condição, respeitando sempre a Constituição e, importantíssimo, de acordo com o clima em que nos encontramos!
Muitas pessoas, seja qual for o regime alimentar praticado, adoptam atitudes dogmáticas e inflexíveis, enformadas num padrão que pode ser bom e desejável mas que infalivelmente não poderá preencher todas as necessidades de todos os momentos. Para além disso, a perfeição, tal como a pureza, são coisas que não existem na Natureza; são apenas conceitos elaborados pela nossa mente dualista que, enquanto separada de tudo quanto existe, anseia por se unificar ao Todo fixando-se apenas num aspecto escolhido pela nossa personalidade (seja ele um ideal alimentar, religioso, político ou outro...). Todas as escolhas radicais e inflexíveis são sinónimo de doença, porquanto a Vida (Natureza) é diversificada, mutável, dinâmica, incontrolável e muito mais sábia do que as nossas limitadas escolhas! Por isso, para além de (boas ou não) escolhas e (bons ou não) conselhos que um técnico nos possa dar, é importante ouvir e sentir aquilo que o corpo nos transmite. Porque isso sim, é natural, é a linguagem da nossa própria natureza a falar connosco. E mais do que regras, tabelas e conceitos, mais forte que tudo isso é o Amor e a Alegria que devemos colocar em cada acto da nossa vida, sobretudo na confecção dos alimentos que vamos ingerir! Cozinhar com Amor, ao som de música, cantar e rir, isso dá mais saúde que o seguimento cego e obtuso de uma forma fechada, rígida e ansiosa de um conceito, seja ele qual for! E, de preferência, não coma em frente à televisão! Desligue-a! E seja grato por tudo aquilo que tem para comer em cada dia da sua vida!

(*) De acordo com os ensinamentos tradicionais da Ayurveda (Antiga Medicina Indiana) e da MTC (Medicina Tradicional Chinesa), o chocolate é considerado um alimento perigoso e tóxico a não ser que seja ingerido em pequenas quantidades num clima excessivamente frio! À parte isso, o seu consumo regular e exagerado é prejudicial ao trato intestinal e energéticamente desequilibrante.
(**) Tempura é um tipo de fritura muito rápida e ligeira feita com óleo de boa qualidade e novo: envolvem-se legumes cortados em fatias num polme muito leve feito com farinha integral e água, colocam-se no óleo quente e retiram-se de imediato; os legumes ficam praticamente crus e estaladiços!

Paula Soveral
Presidente do Conselho Técnico da Sociedade Portuguesa de Naturalogia
(publicado no Boletim Vida Sã, em Novembro 2008)

Bento XVI: “Numa instituição com muitos milhares de pessoas, é impossível só haver pessoas boas” – Observador

“Bento XVI: Conversas Finais”, com Peter Seewald (Março 2017,Dom Quixote) Não ficou chocado ao ver tanta inveja, ciúme, carreirismo e...