lacoste

lacoste

segunda-feira, 27 de junho de 2011

ganso dourado





"O sábio tal como o ganso pressentindo o perigo da erva daninha,
Destrói a raiz antes que vire semente." BUDA

sexta-feira, 24 de junho de 2011

a volta ao mundo

19 septembre 1949 au 7 juillet 19522feita por Yves Le Toumelin, 29 anos marinheiro solitário, num barco de madeira único cuja concepção é a da vela pura, daí ter conseguido fazer a volta ao mundo mais longa até hoje_ 3 anos.


Tempos em que só a viagem contava.


video neste link, em que vemos no inicio antigos ferrari.... e no fim o marinheiro herói.



terça-feira, 21 de junho de 2011

um licor e regras monásticas

este belo texto conta-nos um pouco do quotidiano de 10 monges que vivem o silêncio, monges que são o contrário dos crocodilos que acabam tantas vezes em sapatos e cujas lágrimas são falsas. concluímos também que há preceitos intemporais e inelutáveis comuns a todos os seres humanos_ o silêncio e o céu generoso.

""Quase indistinto dos objectos e das imagens, imóvel, sentado, com o capuz a cobrir-lhe a cabeça, estava um monge velho, curvado. O prior apontou-me um lugar, fez-me gesto para esperar ali e saiu. O monge e eu ficámos a respirar. Foi então que o silêncio começou.Calcular a passagem do tempo dentro do silêncio é comparável a contar segundos pela chama de uma vela ou por um abraço. Semelhante a estes dois exemplos, também o silêncio transporta um sentido imperturbável que é maior do que o tempo que pode ser medido. Como se acontecesse noutro lugar, como se ignorasse os minutos e, assim, lhes subtraísse toda a força da sua importância. O silêncio não se deixa transformar por horas, dias ou séculos. Aquilo que o silêncio era em 1084, quando São Bruno fundou a Ordem da Cartuxa, continua a ser, hoje, o silêncio.
Eu sei que vão ler estas palavras e, a esses dez monges de Évora, quero expressar gratidão. Obrigado por aquilo que não se vê e por aquilo que não se diz. Obrigado também porque, agora, enquanto estamos aqui, eles estão lá, a fazerem-nos saber que “lá” é um lugar que existe.




Para uma visão curiosa de uma demanda espiritual monástica entre cátolicos e budistas pode ser útil a leitura deste livro em francês: "Le Dharma De Saint Benoit, de Patrick Henry ,2002,Wook.pt


A regra de S. Bento foi criada no séc.6 e a sua leitura pode interessar a leitores sedentos de espiritualidade num mundo demasiado materializado.Patrick Henry diz: "O primeiro sentido das palavras latinas e gregas, traduzidas pela palavra "regra" é "grade ou grelha". S. Bento não regulamentou a vida, ele estabeleceu um quadro sobre o qual a vida pode crescer. O ramo de uma planta que trepa por uma grade não o faz a seu belo prazer, apesar disso não podemos saber exactamente qual o caminho que ela vai fazer. A planta encontra o seu próprio caminho no interior da estrutura. O espaço em que se move é aberto, embora com limites. (p. 17)."

Em Portugal e cito: "houve várias edições da Regra em latim e português, sendo a primeira impressa em 1586 e a última em 1993 pelos Monges de SingevergaS. Tirso os únicos que a seguem. Ficaram, todavia, famosas as 16 pequeníssimas edições, quando, no terramoto de Lisboa (1755), o Mosteiro de S. Bento da Saúde, no meio das ruínas da cidade, com espanto geral, ficou intacto, passando a Regra a ser usada como talismã contra os terramotos e outros males. Por isso, S. Bento, o “S. Bentinho” da devoção popular, é tido, em Portugal, como advogado das coisas ruins, dos males desconhecidos e dos maus vizinhos, sendo a Medalha de S. Bento particularmente querida dos devotos."



quinta-feira, 16 de junho de 2011

Hoje

Portugal têm um 1º ministro retornado, formatado em Angola e trás-os-montes, com uma esposa da Guiné. neste caso aplica-se bem a palavra destino karmico. 
Para os formatados - nascidos e/ou criados em Angola fica esta canção:

domingo, 12 de junho de 2011

o povoador hoje

um projecto com muito sucesso.
Inovação e Inclusão

lasagne

lasagne de courgette com  queijo  ricotta, cogumelos exóticos, espinafres, caju, menta e  pesto (molho verde italiano, feito com folhas de basílico moídas, alho, pinhas, queijo parmesão e azeite. 

quando

andamos numa montanha russa estamos tão ocupados a tentar a não vomitar e a gritar que nem acreditamos quando finalmente pomos os pés em terra firme. 
depois 
desaparecemos sem qualquer plano ou agenda. na feira acontece tanta coisa que ninguém dá pela nossa falta. 



sexta-feira, 10 de junho de 2011

lua cheia

no Nepal (foto MR), por aqui céu limpo, a lua cheia será dia 15 com um eclipse lunar total. um mês excepcional.

terça-feira, 7 de junho de 2011

o 1º TGV solar já circula

na Bélgica, no troço Paris-Amesterdão. os 16.mil paneis solares instalados em Anvers produzem energia capaz de fazer circular durante 500horas um TGV, a 300 km/h, ou 150.000 km, além de serem amigos do ambiente. Um exemplo que vai ser seguido também em França.

confiar


1. foto é de um restaurante celebre em vanvouver- Tojo - pela excelente cozinha japonesa sobretudo peixe, com uma alternativa vegetariana e um bom saké.Têm um conceito de menu inovador: omakase palavra japonesa que literalmente significa confiar. Quando não sabemos o que comer, encomendamos ao chefe um menu Omakase, ou seja confiamos-lhe a escolha da nossa refeição e de paladar em paladar seremos seguramente surpreendidos. Se se sentarem no bar, o chefe preparará a refeição à vossa frente.

2. omakase, confiar no chefe ou em alguém a um a dado momento implica fé ou devoção em terminologia budista: "If you have devotion, the Buddha is right in front of you.”—D.K.R.

3. foto de um caranguejo sendo liberto na bahia, Brasil. Em muitos países, os budistas salvam vidas de animais sobretudo peixes, acreditando que isso lhes prolonga a sua própria vida, ou a de outros que tenham contribuído para essa prática. episódios brasileiros: "Um dia memorável da prática foi quando atravessamos o rio com um barqueiro bêbado e com o barco furado, em um dia de chuva.Os animais foram soltos como se estivéssemos de olhos fechados, tamanha a força da água da chuva. No final da prática, a chuva parou, e um clarão de sol se abriu. Nada mais a fazer. Apenas dedicar os méritos." ou como disse um dia um mestre tibetano à sua esposa: "you know what to do. You have means to escape in your hand - just maintain kindness and dedicate the merit".

domingo, 5 de junho de 2011

respirar

é viver. a respiração sincronizada é a chave. Quando andamos sincronizamos o corpo, o movimento da respiração (pescoço) e o movimento da mente através das emoções, sentimentos e pensamentos. é este o valor de um simples exercicio como andar: uma terapia profunda e harmoniosa que beneficia todo o corpo ao sincronizar os três reinos de um ser humano.

versão minha de um texto do Dr. Isaac Eliaz

Strogonoff de seitan

vegan. 4 pessoas

Ingredientes

1 cebola grande
3 dentes de alho
1 folha de louro
azeite q.b.
500 g de seitan cortado em tiras com 1cm de largura
150 mL de puré de tomate
150 mL de vinho branco
250 mL de natas de soja
pimenta branca moída q.b.
noz moscada q.b.
sal q.b.

Refogue cebola picada, o alho e o louro numa porção generosa de azeite até a cebola ficar loura. Adicionar o seitan deixar saltear cerca de 5 minutos para que absorva o sabor do azeite. Adicionar o puré de tomate, o vinho e temperar com sal. Cobrir o tacho e deixar cozinhar em lume brando cerca de 10 minutos.
Quando o vinho tiver secado e o molho engrossado, adicione as natas de soja e mexa para misturar bem. Deixe levantar fervura e, em lume brando, deixe o molho engrossar. Tempere com pimenta branca, noz moscada e retifique o sal.
Sirva com arroz branco e salada. no blog receitas vegetarianas

O pão de queijo no brasil

Servir pão de queijo é garantia de ver muitos sorrisos. Quase todo mundo gosta. É feito com farinha de mandioca e queijo podemos variar bastante, usando mais de um tipo de queijo.
Há receitas que levam batata, na massa e são muito saborosas. Para misturar é importante usar a colher de pau, e não as mãos para não se queimarem.
Como com quase tudo, a prática irá trazer melhores resultados. Usar as medidas correctamente também.
Ainda assim, acontece de cada fornada de pão de queijo ficar um pouquinho diferente das outras sem que saibamos exactamente o porquê. aqui