segunda-feira, 16 de julho de 2012

vitrais | síndrome do regresso

Real Gabinete Português de Leitura – A instituição foi fundada em 1837 por um grupo de quarenta e três imigrantes portugueses, refugiados políticos, para promover a cultura entre a comunidade portuguesa na então capital do Império. Foi a primeira associação desta comunidade na cidade.

1. os vitrais deixam entrar a luz do sol de forma discreta e bela. Porque será que o sol entra na pele e nos faz esquecer?

2. O síndrome do regresso: " É o nome de um conjunto de sentimentos, como medo ou dificuldade para assimilar as diferenças entre as culturas, que as pessoas que viveram no exterior por pelo menos um ano tendem a sentir quando voltam para casa.segundo um estudioso brasileiro , alguém leva em média seis meses para se adaptar a uma cultura nova, e dois anos para se readaptar ao próprio país.  Em S. Paulo há um Núcleo de Informação e Apoio a Trabalhadores Retornados do Exterior (isec.org.br) que oferecem atendimento gratuito.

No FB comentários: Eu passei só 3 meses em Portugal há 5 anos atrás, e quando voltei fiquei + crítica e passei a olhar as pessoas e cidade fazendo comparações. Por exemplo: vejo q o brasileiro, em boa quantidade, é mal educado no trânsito, na colocação do lixo, nos bares gritam muito como se ali fosse só dele, usa o celular de forma grotesca ... afff enfim, nossa educação é uma droga - Mas aos poucos tenho fé q melhoraremos, n adianta um pais ter um PIB lá em cima enqto a educação é tratada como "despesa", sem saneamento básico as doenças proliferam e continuaremos c\doenças de pais pobre.

 agora vou levantar uam questão, e como será que é vista a volta ao seu estado ou cidade de origem... passei cinco anos em Porto Alegre, a volta à Fortaleza, não está sendo fácil.. 

Não é questão de esquecer, como alguém falou acima. A questão é que quando vc se habitua com bons hábitos e boa educação de alguns países do exterior, fica complicado de readaptar à realidade do Brasil. 

Daí que essa conversa sobre sair da zona de conforto, pode ser papo furado. O mesmo acontece se mudamos para cidades ou regiões muito diferentes. Muitos portugueses que voltaram de África, ainda hoje dizem que não se adaptaram a Portugal. Os tibetanos quando se exilaram na Índia foi muito difícil inclusive a nível físico, muitos morreram pois o corpo não estava adaptado ao calor .

Outros tibetanos emigraram para os Estado Unidos e há já uma geração que diz "eu sou tibetano-americano", tal como outros dizem "eu sou italo-americano".  Se houvessem os Estados Unidos da Europa podia dizer " eu sou portuguesa europeia", se...