terça-feira, 26 de março de 2013

relendo

UMA VISÃO SIMBÓLICA E INICIÁTICA DA HISTÓRIA DE PORTUGAL
Há uma história oculta de Portugal. Pensamos que houve entre nós uma organização esotérica que, de uma maneira perfeitamente consciente e intencional, procurou a partir desta Pátria, a que deu existência, redimir o mundo do mal e da divisão.
«(...) António Telmo via Portugal como um ser espiritual. No seu livro interrogou a História e a alma portuguesa em busca do seu sentido verdadeiro (...)
Telmo analisou o simbolismo da nossa História através da leitura de um monumento essencial, o Mosteiro dos Jerónimos – afirmando que Os Lusíadas e os Jerónimos são documentos cifrados.
Pascoaes e Telmo sabiam bem, um saber de experiência feito, que ‘não é por acaso que se nasce português’.» António Carlos Carvalho in "Prefácio"
António Telmo nasceu em Almeida, distrito da Guarda, numa casa da rua do Convento, no centro do hexagrama formado pelas muralhas que cercam a vila. Foi no dia 2 de Maio de 1927, pelas duas horas da tarde. O Leão aparecia no horizonte e o Sol erguia-se alto no Touro. Partiu deste mundo rumo ao Oriente Eterno no dia 21 de Agosto de 2010.
Por uma dessas estranhas coincidências que, por vezes, marcam a relação íntima de certos acontecimentos, nas Centúrias de Nostradamus, escritas há cerca de meio milénio, vem anunciado o nascimento do “grande Portugalois”, junto a um convento em “la Guardia”. Claro que esta Guarda é outra e outro é o convento. Quem dera ao autor deste livro pertencer a uma organização conventual de altos espíritos que guardassem o mundo humano nestes tempos de fim.
Viveu em Portugal 72 anos e os restantes fora de portas: em Moçâmedes (Angola), Brasília (Brasil) e em Granada (Espanha), dividindo-se até hoje o seu tempo por dezassete lugares. Recorda com gratidão Arruda dos Vinhos, da sua infância, que é ainda hoje a forma terrestre do seu Paraíso; Sesimbra, a da sua juventude que lhe ensinou o mar, a amargura e a imaginação; Évora e o seu passado de sombras e de história; Redondo, onde, antes do 25 de Abril, fundou a primeira escola democrática do país. Ensinou crianças em Estremoz durante vinte e tal anos.
Em Brasília, a amizade de Eudoro de Sousa e de Agostinho da Silva pôs em professor universitário um homem que não teve a paciência nem gosto, até aos 40 anos, para completar a licenciatura na Faculdade de Letras de Lisboa. O aluno aqui era professor lá. Ensinou a Écloga IV, de Virgílio, durante três anos. Bastou-lhe este texto de algumas páginas, pois não confunde ensino com Internet.
Iniciou-se como fazedor de livros aos 36 anos, com uma Arte Poética, não de versejar mas de dar voltas ao espírito.

Tenciona nascer de novo, mas não sabe onde, nem quando, nem como, nem se isso é possível fora deste mundo

segunda-feira, 25 de março de 2013

Home - 2ª feira- Sem Carne



Home - 2as Sem Carne

li_The Last Letter

foto na avenida almirante reis de Lisboa

"You, Mr. Bush, make much pretense of being a Christian. But isn’t lying a sin? Isn’t murder a sin? Aren’t theft and selfish ambition sins? I am not a Christian. But I believe in the Christian ideal. I believe that what you do to the least of your brothers you finally do to yourself, to your own soul.
My day of reckoning is upon me. Yours will come. I hope you will be put on trial. But mostly I hope, for your sakes, that you find the moral courage to face what you have done to me and to many, many others who deserved to live. I hope that before your time on earth ends, as mine is now ending, you will find the strength of character to stand before the American public and the world, and in particular the Iraqi people, and beg for forgiveness."

Truthdig - The Last Letter

domingo, 24 de março de 2013

livros entre papel e digital

http://www.estadao.com.br/noticias/arteelazer,reflexoes-sobre-uma-revolucao,1012206,0.htm
"Qual é o futuro dos livros e publicações? Mudanças tecnológicas fazem mercado viver revolução que não ocorria desde a criação da imprensa, há 500 anos. 'Uma das poucas coisas que se pode dizer com certeza é que quando se está no meio de uma revolução, não se tem ideia de onde e quando ela terminará', avalia sociólogo de Cambridge."

sábado, 23 de março de 2013

OS NOVE MAGNÍFICOS HSC

E, agora, uma notícia que me enche de alegria. Finalmente está marcada a data do lançamento do meu último livro de biografias históricas - OS NOVE MAGNÍFICOS - que, de algum modo, prossegue o caminho de divulgação histórica que iniciei com a versão feminina do título.
Foi um trabalho que decorreu num período difícil da minha vida, entre a doença e a morte de um filho, a que me agarrei para não soçobrar, sabendo que era isso que ele quereria que eu fizesse. Daí que o livro lhe seja inteiramente dedicado.

Os reis que escolhi foram aqueles cujas vidas mais me interessaram, dado que é delas que me ocupo. O critério foi, como com as rainhas, puramente subjectivo. Sendo um livro sobre homens que, no passado, governaram Portugal, foi a sua alma, o seu intimo, o seu "eu", que, mais do que tudo o resto,  procurei descobrir. Com o olhar de uma mulher do século XXI, que ama apaixonadamente o país onde nasceu!

hoje li na pag.129:  "D. Manuel I quis casar D. Jaime com uma mulher da poderosa casa castelhana, mas este queria seguir a vida religiosa e fugiu para jerusalém, foi intercetado em Aragão e obrigado a consumar o casamento, que terminaria em tragédia poucos anos mais tarde, com o assassinato da jovem esposa às mãos do marido"

Um exemplo do que pode acontecer quando se interfere nas escolhas intimas dos outros.

sexta-feira, 22 de março de 2013

li_Shambhala SunSpace » A Brief Moment in Deep Time


"The desert tortoise waits below the earth, deep down, patiently as he does, for the changing tide, the warming soil, the golden rays increasing intensity to beckon him out.  

Come out old friend, I imagine the sun saying to the tortoise, Come take your rightful place among us.

 And when this happens months from now in spring, this time the tortoise will listen, trusting the old sun, thanking him for his warm embrace as he slowly emerges from his winter burrow. And then, just as the heat of the desert floor shimmers in the distance, when the raven whirls above in dark angles, the rocks will begin to move.

Slowly. Just as they have for centuries. Just as they have for eons of deep time past.....

I want to honor the disappearing desert tortoise and just slow down. Make space. Rest. This is my hope for the entire world actually"

Shambhala SunSpace » A Brief Moment in Deep Time

terça-feira, 12 de março de 2013

Ellen Frankel: 5 Reasons Jews Gravitate Toward Buddhism

neva na europa hoje

"A JuBu refers to someone with a Jewish background who practices some form of Buddhism. It has been estimated that 30 percent of all Western Buddhists are of Jewish heritage, and many of the prominent Western Buddhist teachers were born Jews. ....."OM in ShalOM
Ellen Frankel: 5 Reasons Jews Gravitate Toward Buddhism

fechamento_Sick Love | The Naked Monk


Alan Watts, “When you confer spiritual authority on another person you are allowing them to pick your pocket and sell you your own watch.” ......Sick Love | The Naked Monk

O bloguer candianao, Stephen Schettini diz-se ex budista, deixou uma comunidade de budismo tibetano, e segue a sua vida tentando ajudar aqueles que também vivem a mesma situação e cito: " I’m deeply committed to helping anyone reconsidering their relationships to a Buddhist community or teacher." 

Não estando ligada a nenhuma comunidade budista sinto-me livre de entrar numa Igreja católica e de aplaudir o novo Papa com entusiasmo e continuar o meu caminho com alegria:

"That in fact, I’d been alone all along.There is life after a spiritual community. There is such a thing as natural community, not contrived to support your fondest wishes but to commiserate with on life’s hard byways. There is no preexisting group out there waiting for you. Real community forms organically, spontaneously. Prepare yourself for it by traveling light. People of like mind are not found in any particular monastery, school or social group. It’s rare to meet others with whom we truly commune. We know that. You know that. Locking yourself into a gated community, pretending you’re safe and sound, is a sure way to not bump into anyone intimately.
Get out there, vulnerable and honest. Admit you’re alone on your path through life and you’ll sooner or later meet fellow-travelers. You’ll share your insights as equals. Some of them may for a while become mentors or guides. Bear in mind though, that relationship will deteriorate the minute you abandon your discernment, the instant you stop taking your own risks.
Otherwise, how will you know when they’re speaking nonsense, as from time to time we all do? How will you realize that they’re manipulating you, as they might if they see you can’t hold your own? They might even be doing it because they love you.
How would you know what sort of love that is?"

Em Portugal uma das primeiras comunidades de budismo tibetano fechou as portas (O.K.C.) mas outros centros budistas existem assim como locais onde aprender meditação sem termos que nos comprometer com uma religião.
pode também gostar de ouvir: Original audio source (Episode280_The_Naked_Monk.mp3)

Bento XVI: “Numa instituição com muitos milhares de pessoas, é impossível só haver pessoas boas” – Observador

“Bento XVI: Conversas Finais”, com Peter Seewald (Março 2017,Dom Quixote) Não ficou chocado ao ver tanta inveja, ciúme, carreirismo e...