sábado, 22 de fevereiro de 2014

biodiversidade: o Lidle em lisboa

penso que todos deviam ter de comer o quanto baste até ao fim da vida.

visito o museu do azulejo porque tenho todo o tempo do mundo, para ti, para mim, para o mundo.

no museu do azulejo penso em Thomas Merton que disse: "No centro do vosso ser há um lugar de luz pura, um lugar que o pecado ou a ilusão não podem tocar."

em frente ao Lidle de Xabregas

Lidle Xabregas
fotos:@conceição, 2014