lacoste

lacoste

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

zen e as aves de rapina

Onde jaz uma carcaça, aves de rapina voam em círculo e descem. A vida e a morte são duas coisas. Os vivos atacam os mortos; em proveito próprio. Os mortos nada perdem com isso. Ganham até, desaparecendo, e enriquecem as aves de rapina.
 

O Zen a ninguém enriquece. Não há ninguém (no  body) para ser encontrado. As aves podem vir e esvoaçar em círculo por algum tempo no lugar onde se pensa estar o Zen. Mas, bem depressa, deslocam-se para outras paragens. 

Quando já se foram, o "nada", o "ninguém - no body"que ali estava, de repente aparece. Isto é o Zen. Ali estava o tempo todo, mas os abutres não o viram, pois não era seu tipo de presa." Thomas Merton, Zen e as aves de rapina

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

para trabalhar com a negatividade

o budismo tântrico refere 4 tipos de acção.

1. pacificação de uma situação que não é justa, ou seja, conhecer o terreno negativo profundamente.
2. depois enriquece-se o negativo com as nossas qualidades dignas e respeitosas.
3. se isso não chega magnetizamos o negativo, ou seja, reunimos todos os seus elementos 
4. se mesmo isso não é suficiente, então destruímos ou extinguimos o que tínhamos reunido de negativo.

estas 4 acções permitem tratar de forma adequada a negatividade e os problemas.E se a energia negativa vos tenta destruir será ela mesma destruída: a sabedoria da prajna paramita destroi o que chama a destruição e protege os que querem protecção. Tudo depende da situação. Uns aprendem com a creação, outros com a destruição.

Chogyam trungpa "O mito da liberdade", 1976